Política

Janaína Riva irá pedir afastamento do Governador

A deputada estadual Janaina Riva (MDB), líder da oposição na Assembleia Legislativa irá apresentar na sessão plenária desta terça-feira (23) um pedido de afastamento do então governador Pedro Taques (PSDB), com base em delação do empresário e ex-coordenador financeiro da campanha do atual governador, Allan Malouf.
O empresário afirmou em depoimento que Taques era ciente e concordou com desvios no Detran e na secretaria de Educação (Seduc) para pagar as empresas que financiaram o caixa 2 da campanha dele.
Janaina Riva afirmou que : "Eu pretendo ainda hoje apresentar um pedido de afastamento embasado na improbidade administrativa cometida pelo governador, quando ele toma ciência dos fatos de corrupção, quando ele concorda com isso e não comete nenhum ato em seu governo para evitar que isso também acontecesse, ele também é responsável. Vou entrar com este pedido de afastamento baseando nesta questão da responsabilidade e isso vai para análise do presidente para colocar para análise do plenário. Eu espero que o Boltelho faça isso, mostre que a Assembleia é independente", disse a parlamentar em entrevista à Rádio Vila Real.

A deputada ainda destaca que sempre suspeitou da participação do governador nos esquemas relatados por Malouf, mas evitou aprofundar criticas em relação à delação para não ser acusada de aproveitar situação para cunho político. Além disso, ela relata que sempre foi declarada supeita para falar do assunto em razão da rivalidade entre o governador e seu pai, o  ex-deputado estadual José Geraldo Riva. 

“A questão das delações,  evitei ficar aprofundando em cima delas, para não dizerem que eu ia  fazer uso político de uma questão judicial. Inclusive como ele colocou que eu meu pai participa de uma delas (delação), e a todo momento quando eu tentava falando alguma coisa a respeito as pessoas sempre me colocavam em suspeição. Então como fazer uma ligação que era negativa  para mim enquanto parlamentar, evitei ficar entrando e adentrando no tema”, assegura. 

Janaina lembra que alguns deputados foram citados em delação e procurou manter a imparcialidade para não ser mal interpretada. “Se eu fizer uma fala dos deputados que foram delatados, vão dizer que estão fazendo isso porque sou candidata a Mesa Diretora e quero usar isso para prejudicar os deputados. Por isso, no que tange a questão dos deputados eu nunca quis polemizar neste sentido, sempre achei que a justiça deveria tomar conta disso, porque é isenta, pelo menos politicamente falando, não tem interesse político no que tange a delação”. 


A delação de Malouf teve o sigilo levantado pelo ministro Marco Aurélio de Melo na última sexta-feira (19) e caiu como uma bomba na gestão Taques, que tem pouco mais de dois meses para chegar ao fim.
Até o momento, o governador se posicionou apenas por meio de nota, negando sua participação em todos os eventos narrados por Malouf.
Veja a nota
Conforme já declarado desde 2016, o governador Pedro Taques nega a prática do chamado “Caixa 2” em sua campanha eleitoral ao Governo de Mato Grosso em 2014 e tampouco autorizou vantagens indevidas a qualquer empresa durante o exercício do mandato. Apesar de citado por delator em acordo de delação premiada, Taques não é réu no processo da chamada “operação Rêmora” e terá direito a ampla defesa nos autos. O governador já constituiu advogados para atuar no processo e garantir que a verdade prevaleça.

Copyright © 2017  Notícias de Hoje -  Telefone: (65) 3358-5258 - Todos os direitos reservados.